Pin It

Anima Christi: Uma oração centrada em Cristo por nossas almas

Precisa de orientação e clareza no amor, relacionamento, carreira e muito mais? Clique aqui para obter uma leitura de numerologia personalizada

Você precisa de uma pausa na rotina diária da vida? Recorra a Jesus em O Anima Christi (latim para “Alma de Cristo”), uma oração que nos convida a pedir a nosso Senhor conforto, força e orientação.

Oferece-nos a oportunidade de meditar em Sua Paixão e orar por Sua ajuda para ganhar a Vida Eterna. O Anima Christi é profundamente centrado em Cristo. É de se admirar que seja recitado com frequência após a comunhão?

Alma de Cristo, santifica-me.
Corpo de Cristo, salve-me.
Sangue de Cristo, embriague-me.
Água do lado de Cristo, lave-me.
Paixão de Cristo, fortalece-me.
Ó bom Jesus, me ouça.
Dentro de Tuas feridas esconde-me.
Não deixe que eu me separe de ti.
Do inimigo maligno, defenda-me.
Na hora da minha morte me chame.
E manda-me vir a Ti,
Para que com todos os Teus santos,
eu possa te louvar
para todo o sempre.
Amém.

As verdadeiras origens do Anima Christi são incertas, mas a oração foi amplamente atribuída a Santo Inácio de Loyola, na foto acima, uma das figuras mais importantes de nossa .

(Santo Inácio foi o membro fundador da Companhia de Jesus, mais conhecida como os Jesuítas, no século 16. Essa ordem religiosa, dedicada a servir o papa e a Igreja por meio da educação e do trabalho missionário, ainda é bem conhecida hoje. )

No entanto, o Anima Christi data do século XIV e foi popular o suficiente para aparecer nos livros de orações muito antes de Santo Inácio apresentá-lo em sua obra clássica Exercícios Espirituais no século XVI.

Ele projetou este livro, ainda popular hoje tanto para retiros quanto para uso privado, para trazer as almas para mais perto de Deus por meio de uma série de meditações e orações.

As ricas imagens do Anima Christi podem certamente ajudar nesse aspecto! Como somos chamados em nossa vida de oração para ser um com Jesus, pedimos aqui que Sua alma nos purifique e nos dê santidade.

O corpo de Cristo é o pão da vida essencial para a nossa Salvação, como Ele mesmo disse no Evangelho de João (6,51-59). Nós O recebemos em comunhão não como um símbolo, mas verdadeiramente conforme discutido em “corpo, sangue, alma e divindade”, como é dito na Missa.

A linha sobre o sangue de Cristo, que também recebemos em comunhão, traz à mente o relato do nascimento da Igreja no Pentecostes.

Algumas pessoas pensaram que os discípulos de Jesus estavam “embriagados de vinho novo” (Atos 2:13) enquanto proclamavam as obras maravilhosas de Deus e eram ouvidos em outras línguas. Mesmo assim, o Espírito que enchia os discípulos era Santo, não destilado!

Anima Christi também nos lembra o comovente relato evangélico da crucificação de nosso Senhor, em que “um dos soldados com uma lança abriu o lado do corpo, e imediatamente saiu sangue e água” (Jo 19:34).

Nós que estávamos imersos na água do batismo quando entramos na fé, agora estamos imersos aqui na água de Sua Paixão para nos limpar de nossos pecados!

Meditar na própria Paixão de Cristo pode fortalecer nosso espírito quando pensamos no quanto Ele suportou por nossa causa. Lembre-se, Ele está sempre lá para nos ajudar a enfrentar quando unimos nossos sofrimentos aos Dele na cruz para o perdão dos pecados e para a nossa salvação.

Pensar nas feridas de nosso Senhor ao longo dessas linhas nos lembra que “por suas pisaduras fomos sarados”, como disse o profeta Isaías (Is 53: 5).

Continuando o Anima Christi , pedimos a Cristo que nos mantenha perto dele. Estar “separado” Dele pode nos custar Seu amor e nossa salvação, tornando nossa alma um alvo convidativo para Satanás.

Isso vai direto ao ponto sobre o “inimigo maligno”, que traz à mente aquele versículo da Oração do Senhor, “livra-nos do mal”, onde pedimos a Deus que nos mantenha a salvo das garras do Maligno!

Nessa linha, a referência à “hora da minha morte” mostra a importância de perseverar na oração e nas boas obras para chegar ao céu. Assim como ninguém sabe o dia ou a hora da segunda vinda de Cristo, também não sabemos nosso dia ou hora em que morreremos.

Será que Jesus nos dirá naquele momento “Vem, bendito de meu Pai, toma posse do reino que está preparado para você” (Mt 25:34) ou, tragicamente, “Eu nunca te conheci: afasta-te de mim” (Mt 7: 23 )? O Anima Christi pode nos ajudar a manter o foco em alcançar a Vida Eterna em um mundo cheio de distrações não tão divinas.

São Paulo disse do céu: “Os olhos não viram, os ouvidos não ouviram… o que Deus preparou para os que o amam” (1 Cor 2, 9). Você pode imaginar algo mais doce do que estar na companhia de nosso Senhor e Seus santos “para todo o sempre”? Que todos nós estejamos no Céu com Ele para cantar Seus louvores por toda a Eternidade!

 

Avalie este post
[Total: 1 Average: 5]

Você vai gostar também:

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário


*


*


Seja o primeiro a comentar!

x